Dada a largada para o início da reforma

quinta-feira, 21 de outubro de 2010 - por admin

Começa o desmonte do mobiliário que não será utilizado no apartamento, mas reutilizado em outros espaços

Depois de 6 meses de projeto, encontros com fornecedores, estudos  de harmonização ambiental (feng shui) e integração entre os projetos de arquitetura, paisagismo, hidráulica, elétrica, climatização, impermeabilização e automação, é dada a largada para o início da reforma.

Nas fotos, podemos verificar também que foi realizado estudo da estutura, tipos de materiais utilizados, a fim de se garantir que não serão afetadas estruturas que possam comprometer o andamento da obra e mesmo gerar possíveis retrabalhos.  

 

Normalmente, esta avaliação é dada com a construtora já contratada e com projeto finalizado, gerando, na maioria dos casos, aumento do custo por paralisação da obra e retrabalho de projeto.

A primeira etapa é o desmonte com equipe especializada dos materiais que poderão ser reaproveitados e não simplesmente retirados como entulho. Neste caso, um marceneiro desmontará os móveis com o mínimo de impacto para que possam ser reaproveitados. 

Este trabaho durará cerca de duas a três semanas. Apenas, os armários dos quartos serão mantidos. Os demais móveis – estantes, armários embutidos, bar e sauna – serão desmontados, mas a madeira será reaproveitada.

Todo este trabalho será conduzido pelo marceneiro José Soares da Silva (foto), 65 anos, com mais de cinquenta anos de experiência. Um trabalho minucioso e que exige muito cuidado para que se não haja perda de materiais. 

Abaixo, a sauna que será desativada. 

Em breve, mais informações sobre o andamento do projeto!

Marcadores: ,

Reformas mais sustentáveis

segunda-feira, 04 de outubro de 2010 - por admin

Para ter reformas mais sustentáveis, deve-se sempre estabelecer critérios para a escolha de materiais e produtos. Alguns já possuem garantias de qualidade e sustentabilidade, mas outros ainda não, exigindo mais atenção dos consumidores.

Produtos a partir de madeira já possuem os selos FSC e Cerflor que garantem o cumprimento de práticas ambientais e sociais rigorosas no manejo. Para produtos finais, como mobiliário, por exemplo, esses selos não são suficientes pois nada avaliam em termos de qualidade, salubridade e responsabilidade na comunicação com o consumidor final.

Adesivos, selantes, pisos, revestimentos, tintas, metais sanitários já possuem o Selo SustentaX de Garantia de Qualidade e Sustentabilidade.

 Mas, e os demais produtos como cimento, gesso, vidros entre outros como devem ser comprados?

 A equipe do Projeto Residência Sustentável preparou algumas dicas e orientações sobre também como podem ser susbstituídos, sem comprometer a obra.

Cimento – Inovar na diminuição do emprego do cimento é um importante desafio, sem comprometer a qualidade e a segurança. Afinal, a produção de cimento tem como consequência um alto consumo de energia e matérias primas. 

Gesso: Materiais em gesso são os mais utilizados em painéis interiores devido à fácil instalação, por serem retardantes de chama, e apresentarem baixo custo. No entanto, a instalação normalmente resulta em um alto volume de resíduos a serem descartados.  Por isso, questione o fornecedor se ele recolhe os resíduos ou então procure empresas que reciclam o material, em sua cidade. 

Lâmpadas: ao comprar lâmpadas, é importante verificar:

  1. Se possuem o Selo Procel de eficiência energética
  2. Se possuem baixo teor de mercúrio e possuem instruções sobre o que fazer em caso de acidente
  3. Que tenham logística reversa garantida pelo fabricante.

Não compre apenas pelo menor preço que aparece na prateleira. Procure no rótulo a vida útil, em horas, estimada pelo fabricante e calcule o custo por 1.000 horas de funcionamento. Uma outra alternativa, é avaliar o emprego de lâmpadas LED, mais eficientes energicamente, com maior vida útil. Da mesma forma, compare utilizando como referencial o valor do custo por 1.000 horas de funcionamento.

 

Modelo de lâmpada LED da Sends Iluminação 

Materiais cerâmicos: dos materiais de acabamento, são uns dos mais duráveis utilizados na arquitetura de interiores e na construção civil. Procure utilizar cerâmicas manufaturadas localmente ou regionalmente para redução dos impactos com custos de transportes e também para favorecer o desenvolvimento regional. 

Metais e ligas metálicas:  o aço é o metal mais comumente utilizado nos produtos de construção civil. É altamente reciclável e sua sucata possui valor comercial. O alumínio é o segundo metal mais comum e provavelmente o mais reciclável no setor da construção. O aço inoxidável e o latão também são metais que podem ser reciclados desde que haja a correta separação dos mesmos. Embora tenham esses aspectos positivos de reciclagem, sua fabricação é intensiva em energia. Mas em determinadas aplicações (ambientes marinhos ou corrosivos, por exemplo) sua aplicação é indispensável. Busque alternativas, sempre que possível, como a madeira.

Plásticos: Dar preferência por plásticos que contenham reciclado na composição (e que atendam às características de desempenho requeridas) e que seja reciclável. A inovação está em  utilizar novos plásticos feitos por meio de fontes renováveis, como cana-de-açúcar. Afinal, a maioria dos plásticos existentes é formulada a partir de fontes não renováveis de petróleo e gases naturais. Além disto, sua produção pode envolver o uso de substâncias tóxicas e potencialmente perigosas. Por isso, optar por alternativas sustentáveis colabora para o meio ambiente e para a saúde.

Vidros: Devem apresentar características técnicas que também contribuam para a eficiência energética do sistema de ar condicionado. Existem também no mercado soluções como películas para vidros (3M) que colaboram para melhor economia energética e contribuem para a aprazibilidade do espaço por permitir iluminação natural e vista para o exterior.

A linha Prestige de películas para vidros da 3M é uma opção que alia o  equilíbrio entre a iluminação natural e o bloqueio de excesso de energia solar no ambiente interno.  Desenvolvida a partir de nanotecnologia, a película é composta por 242 camadas e promove o bloqueio de 97% de raios infravermelhos e 99,9% dos raios ultravioletas.

No projeto Residência Sustentável, além das películas para vidros, serão usadas também, com tecnologia 3M, em parceria com a fornecedora de vidros Penha Vidros,  células fotovoltáicas para geração de energia solar.

Contatos:

3M

linha aberta 3M: 0800- 0132333

www.3m.com.br

iHome

55 – 41 – 4063-9151

http://www.ihome.ind.br

 

Sends Iluminação

Tel: 55 11 3392-2322

www.sendsiluminacao.com.br

 

Penha Vidros

Show-Room: rua Pamplona, 1483 – São Paulo/SP

Tel: 55 11 3225-3713

www.penhavidros.com.br

fotos: divulgação 

Marcadores: , , ,

Página 1 de 1
   
Publicidade
Publicidade

patrocínio

realização