Automação Residencial


Sistema integrado Ecotelhado Ecoesgoto.

quinta-feira, 11 de julho de 2013 - por sustentax

 

Inédito no Brasil, o sistema acaba de ser inserido na lista de cases sustentáveis bem-sucedidos da ONU e é modelo para todo o planeta.

Mais do que o tratamento de esgoto, o sistema prioriza o reaproveitamento de água, economia de energia e tratamento dos efluentes, no qual todos resíduos orgânicos provenientes das descargas de patentes, dos restos de alimentos triturados, devem passar por um processo de purificação.

Para Brasil e países em crescimento, nos quais a estrutura de centrais de tratamento de esgoto cobre apenas 10 % do volume total de esgotos, essa é uma perspectiva alvissareira. Tudo isso sem utilizar produtos químicos e com baixa manutenção.

O conjunto de funções do Ecoesgoto pontua em todas as exigências para obtenção do certificado Leed, tais como: implantação sustentável, eficiência hídrica, energia e atmosfera, materiais e recursos, conforto ambiental, inovação e projeto e créditos regionais.

Automação residencial e sustentabilidade

terça-feira, 09 de outubro de 2012 - por sustentax

Nesta entrevista, Gabriel Peixoto, diretor-presidente da Neocontrol, empresa brasileira há 10 anos no mercado de automação, fala sobre os benefícios da automação residencial, além do aumento de segurança, conforto e acessibilidade, como redução de água, energia e custos.

Como a automação pode gerar redução de consumo?

A automação oferece simples medidas como o aproveitamento de iluminação natural, onde há o controle da luz artificial através de dimmers. Por exemplo, se a iluminação natural é suficiente e você liga o interruptor de luz por força do hábito, a automação impedirá o acendimento da luz ou a aciona de forma dimerizada para complementar a iluminação natural. A redução de consumo também é feita através do uso de basculantes e janelas para a realização do controle de circulação de ar natural, de acordo com o monitoramento das condições externas.

 O consumo de água também pode ser controlado pela automação?

Sim. O uso da água pode ser monitorado através de dispositivos específicos, com a opção de controle e acionamento de sistemas de irrigação para jardins em função da umidade do solo ou sistemas de captação de água da chuva, por exemplo.

Os controles e monitoramentos não têm uma demanda energética?

Sim, eles precisam de energia para funcionar. Porém, os ganhos e benefícios que eles produzem são ainda maiores se compararmos com o consumo de energia que é contabilizado normalmente.

 Mais informações: (31) 3227-3015 e (11) 2537-8170

 

Marcadores: , , ,

Mitos e verdades sobre o LED

sexta-feira, 03 de fevereiro de 2012 - por admin

Os sistemas de iluminação LED conquistam o consumidor e ocupam papel de destaque no mercado brasileiro de lâmpadas. Valorizada pelo consumo de energia equilibrado, esta nova tecnologia que converte energia elétrica em luz dentro de um material de cristal sólido ainda gera muita dúvida quanto à aplicabilidade.

Para esclarecer algumas dúvidas sobre o LED, o especialista em Iluminação e Design de Interiores e responsável pelo Centro de Treinamento da Lâmpadas Golden, Leandro de Barros, analisa alguns mitos e verdades que cercam o tema.

O LED pode ser aplicado em qualquer lugar.

MITO. Em nossos dias, nem sempre o LED é a melhor solução. Há questões técnicas a serem consideradas: Seu Índice de Reprodução de Cor (IRC) não é elevado, está entre 70 e 80. Por isso, o LED não é aplicável a tudo. Não é ideal, por exemplo, em espaços de destaques em loja de roupas porque não tem boa fidelização de cor. Já para iluminação decorativa ele é imbatível, pois possui cores saturadas, diversidade de ângulo de abertura e alguns modelos permitem o controle das cores.

Lâmpada LED não esquenta.

MITO. O sistema LED gera temperatura térmica durante a conversão da eletricidade em luz, porém não joga o calor para o ambiente graças ao auxílio de dissipadores que têm a capacidade de removê-los. Este é um dos aspectos que contribuem para aumentar sua vida útil. Por isso não é possível colocar o LED em luminária desenvolvida para lâmpada tradicional que ele queima.

Os LEDs duram para sempre.

MITO. Lâmpadas LED possuem uma vida longa, mas depreciam com o tempo, como qualquer outra fonte de luz artificial. Essa depreciação luminosa é prevista através de testes durante um longo período de tempo, a fim de se determinar quando uma específica porcentagem de luz é perdida. Alguns fatores contribuem para a degradação do fluxo luminoso, como variação de temperatura, variação de correntes na fonte e a eficácia de sistemas de refrigeração. Quando o sistema de LED não falha, a depreciação do fluxo luminoso é um fator importante para estabelecer o tempo de vida do produto.

Os LEDs não queimam.

VERDADE. O produto não queima, mas perde a intensidade luminosa com o tempo. Os LEDs de boa especificação têm de 20 mil a 50 mil horas de vida útil, com uma perda de fluxo luminoso de 30%. O diodo dura, mas os componentes duram menos. O calor provoca degradação do fósforo nos LEDs brancos causando uma depreciação do brilho e variação na temperatura de cor.

Sistemas com LED são muito caros.

VERDADE. Porém, o retorno do investimento em economia de energia e em manutenção é rápido, há situações em que o retorno deste investimento pode acontecer em menos de um ano. Além disso, deve ser levado em consideração que o valor do sistema já está mais barato que um ano atrás, e a tendência é esse valor reduzir mais.

Não existe lâmpada LED em tubo.

MITO. Hoje já existem modelos com formatos similares às lâmpadas tubulares com a tecnologia LED.

 

O LED pode ser instalado em um soquete comum.

VERDADE. Vários modelos já podem ser instalados no padrão brasileiro de base de rosca E27.

O LED pode ser dimerizado.

VERDADE. Mas nem todos os modelos disponíveis no mercado permitem a regulagem da intensidade de luz.

 

 

Marcadores: , ,

Dicas para automação residencial

segunda-feira, 21 de março de 2011 - por admin

Neste vídeo, José Roberto Muratori, Marbie Systems, responsável pelo projeto de automação residencial do Residência Sustentável dá dicas para o uso das tecnologias de  automação em casas, que possam trazer segurança, conforto e também economia.

Assista ao vídeo.

Marcadores: , , ,

Tecnologias para Automação no Projeto Residência Sustentável

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011 - por admin

José Roberto Muratori, especialista da Marbie Systems, empresa responsável pelo projeto de automação residencial do Residência Sustentável, explica as tecnologias e recursos  que serão fornecidos pelas empresas parceiras: Finder e Neocontrol

 

Veja o vídeo.

Obras já tiveram início, etapa de demolição já concluída

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011 - por admin

As obras da reforma do apartamento tiveram início há um mês e a etapa de demolição já foi concluída. Assim, os  projetistas do Residência Sustentável reuniram-se com o construtor responsável, na manhã de 10 de fevereiro, para discutir o andamento da execução dos projetos, bem como, compatibilizar alguns pontos para melhoria e também devido a alguns ajustes, comuns em todas as obras de reformas.

Nesta obra específica, como explica Paola Figueiredo, “algumas ideias no projeto de arquitetura terão que ser alteradas, porque durante a demolição foram encontradas estruturas diferentes das que se imaginavam no apartamento, como metálicas substituindo vigas de concreto.  Agora, o trabalho do engenheiro calculista será fundamental para dimensionar as novas estruturas e dar suporte e segurança para toda reforma”.

Está havendo uma integração entre os diversos projetistas e o construtor para evitar retrabalhos, baixa produtividade e desperdícios. Esta integração entre as diversas áreas, arquitetura, paisagismo, harmonização de ambientes, climatização, elétrica, hidráulica e automação residencial, é um dos diferenciais deste projeto, a fim de permitir a rápida  troca de conhecimento e informações. 

Nesta visita, dois pontos destacaram-se, a primeira a organização da obra, que segue critérios de sustentabilidade, e a segunda é a amplitude que o apartamento ganhou com o projeto arquitetônico de Cilene Lupi com novas áreas de circulação e, principalmente, circulação de ar e  iluminação natural.

Acompanhe alguns pontos desta reunião, que teve a presença de Cilene Monteiro Lupi, arquiteta responsável pelo projeto; Elias da Silva Rodrigues, supervisor de instalações da Sinnen; Herbet Ortiz da Casa de Projetos (paisagismo); José Roberto Muratori e Virgínia Rodrigues, Marbie Systems (automação); Luiz Fernando Bueno, da LFB (climatização); Mariana Muniz, arquiteta da Naturalux, responsável pelo fornecimento e instalação do Solatube; Mestre I Ming, da Sociedade Feng Shui (harmonização de ambientes); Roberto Giacometti, da Giacometti Projetos (elétrica e hidráulica), além do engenheiro responsável pela obra, Ricardo Flamarion, e Paola Figueiredo e Newton Figueiro da SustentaX. 

 

Separação de Resíduos na obra para correta destinação

Baias para a separação de resíduos e destinação correta

Proteção aos materiais: elevação protege sacos de cimento da umidade do piso

Automação Residencial: ambientes inteligentes e mais sustentáveis

sexta-feira, 23 de julho de 2010 - por admin

Evitar que lâmpadas sejam ligadas quando ainda existir iluminação natural suficiente, monitorar crianças ou idosos por meio de câmeras, controlar a  temperatura e umidade em adegas, automatizar torneiras de jardim, acionar cortinas e persianas para diminuir a insolação nos ambientes são alguns exemplos de procedimentos que podem ser realizados em um projeto de automação residencial.

 No Residência Sustentável, o objetivo do projeto de automação é mostrar as soluções possíveis que permitem controle de gastos desnecessários com energia e a importância da projeto de automação integrado ao arquitetônico.

A arquiteta Virgínia Rodrigues, da Marbie System, empresa responsável pelo automação do Residência Sustentável, explica que a automação residencial é a aplicação das tecnologias existentes para melhorar a qualidade de vida do usuário, facilitando e tornando automáticas algumas tarefas básicas da residência, visando o conforto, segurança e economia do usuário.

O objetivo, explica a arquiteta, é tornar as residências mais eficientes com a utilização de sistemas inteligentes, que controlam algumas tarefas básicas como, por exemplo:

-        o uso eficiente da iluminação artificial, por meio de sensores, dimerizadores ou temporizadores que controlam os sistemas de iluminação;

-        acionamento de cortinas e persianas elétricas, de forma programada, para intensificar ou diminuir a insolação nos ambientes;

-        controle interno de temperatura, atuando sobre os condicionadores de ar e/ou aquecedores de ambiente, com base nas informações dos sensores;

-        controle de tratamento de águas pluviais e utilização racional da água para irrigação, com utilização de sensores de umidade de solo e ar;

A automação, além de criar ambientes mais inteligentes, contribui também para gerar resultados favoráveis ao desempenho energético e ao conforto ambiental. “As utilizações são diversas, mas pode-se citar os controladores inteligentes que ligados a sensores de luminosidade externos determinam o acendimento automático da iluminação apenas quando o ambiente está sendo utilizado, evitando que as luzes sejam acesas à noite quando o ambiente está vazio”. Outra situação é gerenciar o gasto com energia elétrica nas unidades residenciais, analisando horários de maior gasto e equipamentos que determinam desperdícios.

Contudo para o projeto ser de fato eficiente é imprescindível a análise das necessidades e aspirações da família e propor algumas aplicações específicas. “É fundamental que todas as aplicações sejam úteis àquela família e que também seja feito um estudo detalhado de custo X benefício destas aplicações. Projetos mais avançados podem incluir o controle remoto, via celular, de alguns equipamentos como ar condicionado, por exemplo.”

Para a arquiteta, a dica mais importante para os interessados em tecnologias residenciais é que a fase de contratação do projeto de automação deve se dar juntamente com o projeto arquitetônico e elétrico. “Uma concepção realmente inteligente, nasce de um projeto integrando todas as especialidades visando o design, conforto, consciência social e ecológica, onde a utilização dos recursos tecnológicos de automação é mais uma das ferramentas disponíveis na busca do projeto sustentável ideal”, finaliza.

Conheça os novos parceiros

quarta-feira, 30 de junho de 2010 - por admin

 

Sends, Penha Vidros e Finder são os novos parceiros no projeto Residência Sustentável para fornecimento de tecnologias em  iluminação LED, vidros com placas fotovoltáicas para geração de energia solar, temporizadores e relés para o projeto de automação, respectivamente.

Workshop Residência Sustentável para apresentação dos projetos

quinta-feira, 24 de junho de 2010 - por admin

Empresas e profissionais parceiros do Projeto Residência Sustentável

 

Herbert e Angela Ortiz, da Casa de Projetos, que assinam o Paisagismo do Residência Sustentável e Cilene Monteiro Lupi, responsável pelos projetos de arquitetura e interiores

 

Profissionais debatem soluções para o projeto

 

Paola Figueiredo, idealizadora do projeto, fala sobre o projeto e apresenta parceiros

 

Mestre I Ming, da Sociedade Feng Shui, apresenta suas indicações para a harmonização ambiental

 

Angela Ortiz apresenta projeto de Paisagismo

 

Herbert Ortiz comenta soluções do projeto paisagístico

 

Roberto Giacometti, da Giacometti Projetos, apresenta soluções de hidráulica e elétrica

 

Luiz Fernando Bueno, da LFB Engenharia e Projetos, comenta soluções para melhoria do conforto térmico no imóvel

 

José Roberto Muratori, da Marbie Systems, explica as novas tecnologias e benefícios para a automação residencial

 

Luciano Soma, da Proassp Projetos, apresenta o projeto de impermeabilização do apartamento

 

Convidados para o II Workshop Residência Sustentável

II Workshop Residência Sustentável

segunda-feira, 31 de maio de 2010 - por admin

 

No 17/06/2010, o Grupo SustentaX e os parceiros Cilene Monteiro Lupi Studio, Giacometti Projetos, LFB Engenharia, Sociedade Feng Shui, Casa de Projetos, Marbie Systems e PROASSP Assessoria E Projetos  apresentarão as plantas e estudos desenvolvidos para o Projeto Residência Sustentável, no II Workshop Residência Sustentável.

O intuito é mostrar todas as implicações e soluções inerentes de um projeto integrado que tem como foco a sustentabilidade.

Horário: 9h às 12h

Local: Av. Brigadeiro Luiz antônio, 2.344, 9º andar (entre a Av. Paulista e a Al. Santos)

RSVP: residenciasustentavel@sustentax.com.br

Página 1 de 2
    Próxima 
Publicidade
Publicidade

patrocínio

realização