Decoração


Novo Revestimento Sustentável para Paredes

segunda-feira, 15 de julho de 2013 - por sustentax

 

logo

 

A Terracor apresenta Terracor ECO, um revestimento para paredes único, com efeito estético exclusivo, que oferece um altíssimo índice de sustentabilidade ao utilizar 88% de matérias primas ecológicas, além de apresentar um baixíssimo índice VOC (Composto Orgânico Volatíl) de 6%.

No momento onde a Ecologia e a Sustentabilidade estão em evidência, onde construções “verdes” tem grande destaque, tanto pela economia, quanto pelo respeito ao meio ambiente, nos prontificamos a rever nossos processos, e oferecer produtos e operações cada vez mais harmoniosas com o meio ambiente.

O Terracor Eco é o primeiro a seguir este pensamento, mas como também implementamos processos mais sustentáveis na fabricação, como aproveitamento de água e uso de matérias primas que não agridem o meio ambiente, toda nossa linha de produtos se beneficiou desta iniciativa.

A Terracor tem convicção de que o caminho adotado é correto é irreversivel, e que cada vez mais, temos que nos esforçar para apresentar soluções sustentáveis. Para ratificar que a escolha foi correta, a Terracor foi agraciada com a afiliação do Green Building Council e com o Prêmio Planeta Casa, da Editora Abril.

Informações Técnicas: Ideal para superficies de ambientes internos e externos, acabadas em massa fina, massa corrida, ou gesso. O Terracor ECO está disponível em 16 cores. Embalado em barricas de 15 kg, com rendimento aproximado de 15m2.

Sobre a Terracor:
TERRACOR cria, desenvolve e fabrica com exclusividade tintas e acabamentos para paredes que reproduzem a necessidade estética de todo e qualquer arquiteto, designer ou pintor. Você pode encontrar mais informações online, em www.terracor.com.br.

 

 

Dicas para a escolha de fechaduras e a adoção de ações preventivas para aumentar a segurança de residências

segunda-feira, 16 de abril de 2012 - por sustentax

A PADO, líder do mercado nacional de cadeados e fechaduras de alto padrão, relaciona algumas dicas na hora de escolher as fechaduras adequadas, com atenção especial para o quesito segurança.   A escolha certa garante a eficiência e a durabilidade do dispositivo.

Tráfego: antes de optar por um modelo, veja o item tráfego, isto é quantas vezes a porta é aberta. A escolha do dispositivo deve respeitá-lo, de maneira a evitar desgaste e corrosão, aumentando a durabilidade e melhorando a segurança. Existem opções de modelos para as necessidades de todos os tipos de tráfego: leve, moderado e alto.

Porta: a escolha da fechadura deve ser adequada também ao tipo de porta. Para a entrada das residências, por exemplo, recomenda-se modelos mais  resistentes, como as de metal ou madeira.

Manutenção: deve-se realizar vistorias periódicas para averiguar se os dispositivos estão em perfeitas condições de uso. A vistoria preventiva tem tanta importância quanto a instalação de uma fechadura apropriada para cada local e situação.

Marcadores: , , ,

LED vs. Dicróica

segunda-feira, 09 de abril de 2012 - por sustentax

O LED é cada vez mais uma realidade nas residências, mas em que circunstâncias é mais vantajoso usá-lo no lugar de halógenas dicróicas? Para responder a esta questão, a equipe da Lâmpadas Golden comparou um modelo de halógena dicróica com um modelo de LED, já que ambas podem ser utilizadas para iluminação de destaque, complementar e em embutidos, tanto em ambientes residenciais como comerciais, restaurantes e hotéis, entre outros. Para fazer essa comparação, foi considerado que os dois tipos de lâmpadas podem ser aplicados nos mesmos locais e com as mesmas finalidades. Os quesitos em que elas se diferenciam mostram que podem dar diferentes efeitos como resultado.

O modelo escolhido para esta comparação com a halógena dicróica foi a Ultra LED MR 16 da Lâmpadas Golden. Quando o quesito é economia, o LED vence com grande vantagem. Com potências de 6 e 50W, respectivamente, o sistema LED chega a economizar 88% sobre a dicróica.

Mas quando o assunto é reprodução de cor, por enquanto a dicróica apresenta vantagem, visto que sua tecnologia permite a fidelização das cores dos objetos.

Outro detalhe é o calor emitido pela lâmpada. As dicróicas emitem 60% do calor para o espaço entre forro e teto, incluindo a luminária e 40% para o ambiente. Já o LED joga 100% do seu calor para trás e o aquecimento gerado no ambiente é bem menor que o da dicróica, por ter uma potência bem menor e um dissipador de calor.

Veja os detalhes da comparação no quadro abaixo. Se não está familiarizado com os termos técnicos, temos abaixo um glossário para consulta.

* O modelo MR 16 ainda conta com uma versão com a luz fria, com temperatura de cor de 6000 K, e intensidade luminosa de 1270 cd (1m).

Glossário:

Potência: Indica o consumo de energia, em watts (W). A energia consumida multiplicada pelo tempo de utilização é igual a energia elétrica utilizada.

Intensidade Luminosa: É a quantidade de luz emitida em uma determinada direção. Sua unidade de medida é expressa em candela (cd). Logo à frente, é sempre mostrada a distância de referência, em metros (m).

Abertura: Indica o grau (°) de abertura do feixe de luz, a angulação de onde a luz irá iluminar.

Temperatura de Cor: É a cor aparente da luz emitida por uma fonte, numa escala de 2000 a 6100 K. Em baixas temperaturas de cor a tonalidade da luz tende para o vermelho, que é conhecida como luz quente, enquanto nas altas temperaturas de cor a luz torna-se mais clara, sendo definida como luz fria. A sua unidade de medida é o kelvin (K).

 

IRC (Índice de Reprodução de Cor): Todas as cores que enxergamos sofrem influência da iluminação. A referência de luz com perfeita reprodução de cores é a luz do sol às 12h00, livre de interferência atmosférica, a qual se atribui a graduação de 100, numa escala de 0 a 100. As luzes artificiais são igualmente classificadas de 0 a 100 de acordo com a sua fidelidade ao reproduzir as cores. Quanto mais próxima do 100 estiver, melhor será a sua reprodução de cores.

Vida Mediana: Corresponde ao valor em que 50% das lâmpadas ensaiadas se mantém acesas sob condições controladas em laboratório. Esse tempo não é necessariamente correspondente à vida em serviço, já que flutuações de tensão e outras influências ambientais podem resultar no encurtamento da vida média. Na prática, pela forma que se consome uma lâmpada, sua durabilidade pode variar para mais ou para menos partindo do valor indicado pelo fabricante. Exemplo: Quanto mais se liga e desliga a lâmpada ao longo do dia, menor será sua vida útil.

Marcadores: , , , , , , , , , , ,

Mitos e verdades sobre o LED

sexta-feira, 03 de fevereiro de 2012 - por admin

Os sistemas de iluminação LED conquistam o consumidor e ocupam papel de destaque no mercado brasileiro de lâmpadas. Valorizada pelo consumo de energia equilibrado, esta nova tecnologia que converte energia elétrica em luz dentro de um material de cristal sólido ainda gera muita dúvida quanto à aplicabilidade.

Para esclarecer algumas dúvidas sobre o LED, o especialista em Iluminação e Design de Interiores e responsável pelo Centro de Treinamento da Lâmpadas Golden, Leandro de Barros, analisa alguns mitos e verdades que cercam o tema.

O LED pode ser aplicado em qualquer lugar.

MITO. Em nossos dias, nem sempre o LED é a melhor solução. Há questões técnicas a serem consideradas: Seu Índice de Reprodução de Cor (IRC) não é elevado, está entre 70 e 80. Por isso, o LED não é aplicável a tudo. Não é ideal, por exemplo, em espaços de destaques em loja de roupas porque não tem boa fidelização de cor. Já para iluminação decorativa ele é imbatível, pois possui cores saturadas, diversidade de ângulo de abertura e alguns modelos permitem o controle das cores.

Lâmpada LED não esquenta.

MITO. O sistema LED gera temperatura térmica durante a conversão da eletricidade em luz, porém não joga o calor para o ambiente graças ao auxílio de dissipadores que têm a capacidade de removê-los. Este é um dos aspectos que contribuem para aumentar sua vida útil. Por isso não é possível colocar o LED em luminária desenvolvida para lâmpada tradicional que ele queima.

Os LEDs duram para sempre.

MITO. Lâmpadas LED possuem uma vida longa, mas depreciam com o tempo, como qualquer outra fonte de luz artificial. Essa depreciação luminosa é prevista através de testes durante um longo período de tempo, a fim de se determinar quando uma específica porcentagem de luz é perdida. Alguns fatores contribuem para a degradação do fluxo luminoso, como variação de temperatura, variação de correntes na fonte e a eficácia de sistemas de refrigeração. Quando o sistema de LED não falha, a depreciação do fluxo luminoso é um fator importante para estabelecer o tempo de vida do produto.

Os LEDs não queimam.

VERDADE. O produto não queima, mas perde a intensidade luminosa com o tempo. Os LEDs de boa especificação têm de 20 mil a 50 mil horas de vida útil, com uma perda de fluxo luminoso de 30%. O diodo dura, mas os componentes duram menos. O calor provoca degradação do fósforo nos LEDs brancos causando uma depreciação do brilho e variação na temperatura de cor.

Sistemas com LED são muito caros.

VERDADE. Porém, o retorno do investimento em economia de energia e em manutenção é rápido, há situações em que o retorno deste investimento pode acontecer em menos de um ano. Além disso, deve ser levado em consideração que o valor do sistema já está mais barato que um ano atrás, e a tendência é esse valor reduzir mais.

Não existe lâmpada LED em tubo.

MITO. Hoje já existem modelos com formatos similares às lâmpadas tubulares com a tecnologia LED.

 

O LED pode ser instalado em um soquete comum.

VERDADE. Vários modelos já podem ser instalados no padrão brasileiro de base de rosca E27.

O LED pode ser dimerizado.

VERDADE. Mas nem todos os modelos disponíveis no mercado permitem a regulagem da intensidade de luz.

 

 

Marcadores: , ,

Arquivo Deslizante Huffix: sinônimo de Qualidade e Sustentabilidade

quinta-feira, 16 de junho de 2011 - por admin

Os arquivos deslizantes da Huffix, que serão utilizados no Residência Sustentável, acabam de conquistar o Selo SustentaX.

O Selo SustentaX identifica ao mercado produtos e serviços com qualidade e sustentabilidade garantidas, com o  propósito de facilitar aos consumidores a identificação de produtos sustentáveis e garantir a qualidade e sustentabilidade para especificadores, compradores e usuários.

“Entre os diferenciais do produto, destacam-se a flexibilidade na utilização, graças à possibilidade de modularização, potencializando a capacidade de armazenamento e também a existência em sua composição de 19,6%, no mínimo, de aço reciclado pós-consumo”, explica Emiliano Domingos de Santana, Presidente da Huffix.

Os produtos são concebidos para longa vida útil. A concepção tem “design” que permite desmontagem para remanejamento, mudanças de componentes e de cores, tantas vezes quantas forem necessárias, incluindo a aplicação de adesivos, que ambientalizam os arquivos, que são totalmente remanejáveis e ajustáveis às necessidades de seus usuários ao longo dos anos.

A Huffix desenvolve soluções para otimização de espaço, organização, produtividade e segurança para todo acervo de documentos, produtos e objetos, que proporcionam a eliminação de diversos armários convencionais, liberando mais espaço para a circulação e acomodação de pessoas, permitindo mais praticidade, segurança, conforto e bem estar.

Marcadores: , , , , , ,

Sustentabilidade desde o design

quinta-feira, 28 de abril de 2011 - por admin

Neste vídeo, Cilene Monteiro Lupi, arquiteta responsável pelo projeto Residência Sustentável, fala sobre como os profissionais de interiores podem contribuir na sustentabilidade desde o design.

Assista ao vídeo.

Marcadores: , , , , ,

Obras já tiveram início, etapa de demolição já concluída

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011 - por admin

As obras da reforma do apartamento tiveram início há um mês e a etapa de demolição já foi concluída. Assim, os  projetistas do Residência Sustentável reuniram-se com o construtor responsável, na manhã de 10 de fevereiro, para discutir o andamento da execução dos projetos, bem como, compatibilizar alguns pontos para melhoria e também devido a alguns ajustes, comuns em todas as obras de reformas.

Nesta obra específica, como explica Paola Figueiredo, “algumas ideias no projeto de arquitetura terão que ser alteradas, porque durante a demolição foram encontradas estruturas diferentes das que se imaginavam no apartamento, como metálicas substituindo vigas de concreto.  Agora, o trabalho do engenheiro calculista será fundamental para dimensionar as novas estruturas e dar suporte e segurança para toda reforma”.

Está havendo uma integração entre os diversos projetistas e o construtor para evitar retrabalhos, baixa produtividade e desperdícios. Esta integração entre as diversas áreas, arquitetura, paisagismo, harmonização de ambientes, climatização, elétrica, hidráulica e automação residencial, é um dos diferenciais deste projeto, a fim de permitir a rápida  troca de conhecimento e informações. 

Nesta visita, dois pontos destacaram-se, a primeira a organização da obra, que segue critérios de sustentabilidade, e a segunda é a amplitude que o apartamento ganhou com o projeto arquitetônico de Cilene Lupi com novas áreas de circulação e, principalmente, circulação de ar e  iluminação natural.

Acompanhe alguns pontos desta reunião, que teve a presença de Cilene Monteiro Lupi, arquiteta responsável pelo projeto; Elias da Silva Rodrigues, supervisor de instalações da Sinnen; Herbet Ortiz da Casa de Projetos (paisagismo); José Roberto Muratori e Virgínia Rodrigues, Marbie Systems (automação); Luiz Fernando Bueno, da LFB (climatização); Mariana Muniz, arquiteta da Naturalux, responsável pelo fornecimento e instalação do Solatube; Mestre I Ming, da Sociedade Feng Shui (harmonização de ambientes); Roberto Giacometti, da Giacometti Projetos (elétrica e hidráulica), além do engenheiro responsável pela obra, Ricardo Flamarion, e Paola Figueiredo e Newton Figueiro da SustentaX. 

 

Separação de Resíduos na obra para correta destinação

Baias para a separação de resíduos e destinação correta

Proteção aos materiais: elevação protege sacos de cimento da umidade do piso

Acompanhe a etapa do desmonte do mobiliário

segunda-feira, 08 de novembro de 2010 - por admin

No post anterior, explicamos a importância do planejamento para o desmonte, a fim de aproveitar melhor os materias na própria reforma ou em outros ambientes, contribuindo com a redução de resíduos.

O trabalho começou há duas semanas  e está na sua etapa final. Os armários embutidos do corredor, bar, sauna, home theatre e algumas portas já foram retirados.  Os armários dos quartos foram mantidos e ganharão novos revestimentos na reforma.

Acompanhe as fotos:

Piso inferior, os armários do corredor e da cozinha já foram desmontados:

Piso superior, com sauna, bar e home theatre desmontados

 

Feng Shui: orientações para a escolha das cores para os quartos

terça-feira, 14 de setembro de 2010 - por admin

Mestre I Ming, da Sociedade Feng Shui, responsável pelo projeto de harmonização ambiental do Residência Sustentável, e a consultora de Feng Shui da Suvinil orientam sobre a influência das cores nos quartos.

  

Crianças

As crianças, de maneira geral, são muito criativas e por este motivo necessitam de estímulos externos que potencializam e ativam o raciocínio. Desta forma as paredes do quarto, com as cores certas, são a forma mais simples de se conseguir este objetivo.  

Recomenda-se cautela com as cores a serem utilizadas, pois as classificadas como quentes ( tons de laranja, de vermelho e de amarelo), podem potencializar a irritabilidade e a agitação de crianças nervosas. Entretanto, a cor avermelhada ativa o estudo, pela teoria dos Cinco Elementos. Uma pequena faixa é propícia para crianças melhorarem o rendimento escolar.  

Já a cor azul, ao contrário, acalma e faz com que os pequenos tenham um sono mais tranqüilo. Lembrando-se que o azul pode levar a introspecção de crianças que já tenham uma predisposição.  

Utilizando-se em conjunto os tons pastéis, pode-se deixar o quarto em harmonia sem que fique triste ou sombrio. Isto porque as cores pasteis significam “Confiança e Fé” pela teoria de Cinco Elementos, originado do complexo Feng Shui.  

Não se deve suprimir esta criatividade e nem deixar o quarto todo riscado e com suas paredes sujas, pois para o Feng Shui a organização e a limpeza são primordiais e sendo assim, sugerem-se as cores da linha limpa fácil da Suvinil que podem ser : Raio de sol, Malva entre outras.  

Casal  

  

Quando se deseja esquentar uma relação, o vermelho (no Feng Shui, é cordial) e o rosa (no Feng Shui, é Fé.) são indicados. Mas, cuidado, pois as tonalidades fortes devem ser evitadas se um ou ambos forem agitados.  

Como tonalidade de vermelho sugerida, Tomate seco ou o R111 são bem indicados. Procure aplicar em uma das paredes do quarto deixando o ambiente charmoso e sedutor.  

Dois tons de rosa são interessantes: o C 106 ou B 107 que podem ser utilizados em todas as paredes ou em apenas uma delas.  

Adolescentes  

É uma turminha difícil de se agradar e portanto a recomendação são as cores marcantes associadas aos tons pastéis (no Feng Shui, é confiança.), isto não implicará no comprometimento da harmonia do ambiente. Lembre-se de discutir e dar opções de escolha a eles, pois a característica de cada adolescente deverá ser levada em consideração.  

Os tons de roxo R096,P085,E092 (no Feng Shui, apreendizado), verde limão (amor, no Feng Shui), tonalidades C050,E043; preto, pink ( sabedoria), tons E102,Z022, azul marinho (flexibilidade), opções P076, P 081 e laranja (vontade), P 126,E128, normalmente são as mais escolhidas.  

Imagine se a escolha for o preto ou o roxo. É assustador não?  

Não se desespere, pois é possível tornar o quarto mais atraente e bonito utilizando uma associação de cores e efeitos, como por exemplo, arabescos, faixas ou desenhos com um tom mais claro nas paredes.  

Sempre que possível aplique o ba-guá para se determinar os seus desejos e a intenção de cada ambiente. Tenha em mente que este instrumento é muito importante para a filosofia Feng Shui, pois determina os pontos principais que deverão ser trabalhados.  

Produtos com baixa toxidade

Além do cuidado com a escolha das cores, deve-se também pensar na saúde da família, optando por tintas com baixa toxidade. Prefira produtos com o Selo SustentaX de Garantia de Qualidade e Sustentabilidade. No site www.SeloSustentaX.com.br estão disponíveis a relação de tintas e também tabela com os limites de emissão de compostos orgânicos voláteis, substâncias que prejudicam a saúde, provocando alergias respiratórias, entre outros males.

Boa sorte!  

 

Fotos: divulgação Suvinil

 

Qualidade e Sustentabilidade para o seu lar

segunda-feira, 16 de agosto de 2010 - por admin

 

Decorar com bom gosto, sofisticação e, principalmente, com produtos sustentáveis.

Algumas dicas de produtos com conteúdos reciclados e também feitos com materiais rapidamente renováveis.

Para estofados, forração de paredes, painéis e cortinas

Lona BR100

A Lona BR 100 é a mesma lona utilizada pelos caminhoneiros que cruzam durante anos as estradas do país com transporte de cargas. Após passar por processo de reciclagem, transforma-se em tecido resistente e macio. Possui o Selo SustentaX que garante a qualidade e sustentabilidade ao produto.

Nas versões:  Cores, bordados, estampados e pintado por artista plástico

Deve ser limpo regularmente com aspirador de pó ou escova macia para evitar acúmulo de sujeira. 

 Sac de Café

O Sac de Café é um tecido sustentável e biodegradável. Vindo do Pará é fabricado a partir da juta, uma fibra resistente e 100% natural. Também possui o Selo SustentaX

O tecido Sac de Café passa por diversos testes de qualidade como alongamento, teste de resistência, força de largura/ruptura, antes de serem liberados para o mercado.

Disponível nas cores natural, marron e verde e com bordados com linha de algodão natural.

 Para revestimento de paredes e mobiliário

Pastilhado de macieira

Proveniente da poda de macieiras, da região de Palmas/PR, o pastilhado Seivarte pode ser aplicado em móveis e em paredes. E a manutenção deve ser feita com flanela seca e óleo para móveis (ou de linhaça), quando necessário. Produto patenteado.

Foto: projeto da arquiteta Sandra Lazaretti (Palmas/PR)

Para banheiros, cozinhas, varandas e terraços

taPET

taPET, tapetes feitos com  fio pet, da Claudia Araujo Tecelagem Manual, é ideal para áreas molhadas como banheiros, cozinhas, varandas e  terraços. Durável e de fácil manutenção.

onde encontrar:

 Claudia Araujo Tecelagem Manual

www.claudiaaraujo.com.br

 11 – 5539.7429 / tecelagem@claudiaaraujo.com.br

JRJ

http://www.jrj.com.br

11 – 3849-3629 / 0800-552718

Seivarte

Distribuído por: Lieto Fine – www.lietofine.com.br

11 – 2122-4074

  

fotos: divulgação

Página 1 de 2
    Próxima 
Publicidade
Publicidade

patrocínio

realização