Resíduos


Arquivo Deslizante Huffix: sinônimo de Qualidade e Sustentabilidade

quinta-feira, 16 de junho de 2011 - por admin

Os arquivos deslizantes da Huffix, que serão utilizados no Residência Sustentável, acabam de conquistar o Selo SustentaX.

O Selo SustentaX identifica ao mercado produtos e serviços com qualidade e sustentabilidade garantidas, com o  propósito de facilitar aos consumidores a identificação de produtos sustentáveis e garantir a qualidade e sustentabilidade para especificadores, compradores e usuários.

“Entre os diferenciais do produto, destacam-se a flexibilidade na utilização, graças à possibilidade de modularização, potencializando a capacidade de armazenamento e também a existência em sua composição de 19,6%, no mínimo, de aço reciclado pós-consumo”, explica Emiliano Domingos de Santana, Presidente da Huffix.

Os produtos são concebidos para longa vida útil. A concepção tem “design” que permite desmontagem para remanejamento, mudanças de componentes e de cores, tantas vezes quantas forem necessárias, incluindo a aplicação de adesivos, que ambientalizam os arquivos, que são totalmente remanejáveis e ajustáveis às necessidades de seus usuários ao longo dos anos.

A Huffix desenvolve soluções para otimização de espaço, organização, produtividade e segurança para todo acervo de documentos, produtos e objetos, que proporcionam a eliminação de diversos armários convencionais, liberando mais espaço para a circulação e acomodação de pessoas, permitindo mais praticidade, segurança, conforto e bem estar.

Marcadores: , , , , , ,

Sustentabilidade desde o design

quinta-feira, 28 de abril de 2011 - por admin

Neste vídeo, Cilene Monteiro Lupi, arquiteta responsável pelo projeto Residência Sustentável, fala sobre como os profissionais de interiores podem contribuir na sustentabilidade desde o design.

Assista ao vídeo.

Marcadores: , , , , ,

Cilene Monteiro Lupi fala sobre a sustentabilidade no projeto Residência Sustentável

segunda-feira, 04 de abril de 2011 - por admin

Neste vídeo, Cilene Monteiro Lupi, arquiteta responsável pelo projeto Residência Sustentável, fala sobre os itens de sustentabilidade no projeto Residência Sustentável, como soluções para impedir a entrada de poeira no ambiente, metais sanitários econômicos, aquecimento solar para água, ar condicionado, iluminação LED, entre outros itens.

Assista ao vídeo.

Marcadores: ,

Treinamento em sustentabilidade em obras

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011 - por admin

No dia 15/02, os operários e os responsáveis pela  obra do Residência Sustentável participaram de treinamento em sustentabilidade em obras, ministrado pelo Engenheiro Ambiental da SustentaX, Alexandre Schinazi.

O objetivo deste treinamento é orientar os profissionais sobre os critérios exigidos em uma construção sustentável, entre os quais: 

  • Gerenciamento de resíduos na obra: o intuito é separar, destinar corretamente e controlar as quantidades de materiais que podem ser reciclados, como madeira, metal, vidro, papelão e plástico. Nas fotos abaixo, pode-se verificar a presença de recipientes e baias  para a separação dos resíduos.   

 

 

  • Plano de gerenciamento da qualidade do ar interior na obra durante a reforma, com o objetivo de melhorar a saúde, o conforto e o bem estar dos operários, instaladores e futuros ocupantes, com medidas como varrição com uso de água, de preferência,  não potável para não produzir partículas em suspensão e acúmulo de poeiralevantar poeira na obra e armazenamento adequado dos materiais (cimento, areia, brita, argamassa…).

Para não absorver a umidade do piso, os materiais, neste caso, os sacos de cimento estão sobre superfície elevada (foto1). Na foto 2, observa-se a identificação dos materiais

foto 1
foto 2

 

  • Materiais de baixa toxidade: os adesivos, selantes, tintas e  vernizes que serão usados na obra deverão ter baixa emissão de compostos orgânicos voláteis, substâncias que prejudicam a saúde tanto dos operários quanto dos futuros ocupantes do apartamento. Os produtos que tiverem o Selo SustentaX já atendem este requisito, facilitando a identificação para o uso na obra. Para saber mais, acesse os produtos que serão utilizados com baixa toxidade.
  • Conteúdo reciclado: deve-se dar preferência por produtos que possuam percentuais de reciclados em sua composição, como é o caso, dos produtos que serão usados nas próximas etapas da reforma, como armários da Huffix (aço reciclável); pastilhado Seivart (galhos da poda de macieira);  piso elevado Werden (16,6% pós-consumo) , revestimento acústico Pisoleve (borracha de pneu reciclado), tapetes Claudia Araújo (fio pet) e  tecido JRJ (lona de caminhão). Saiba mais.
  • Materiais regionais: para minimizar os impactos do transporte, deve-se dar optar, sempre que possível, por materiais fabricados, produzidos dentro de um raio de 800km.
  • Madeira certificada com o Selo FSC, que garante o uso de madeira legal com manejo sustentável e responsabilidade do fabricante.

Sua casa é sustentável?

terça-feira, 09 de novembro de 2010 - por admin

 

Faça o teste e descubra se ela foi de fato planejada, construída e decorada com menores impactos no meio ambiente, eficiente energeticamente e com mecanismos para redução do consumo de água.

Instruções: para cada pergunta responda sim ou não

ENERGIA

1. O imóvel foi planejado para ter o aproveitamento racional da iluminação e ventilação naturais e da gravidade para abastecimento de água?

2. O projeto se preocupou em garantir conforto térmico para os ambientes na maior parte do tempo, de forma natural?

3. As pinturas das fachadas são de cores claras para reduzir a absorção de calor pela estruturas?

4. O telhado tem cobertura vegetal ou foi pintado com tintas brancas de alta refletâncias, para reduzir o efeito da insolação?

5. Foi considerado aquecimento solar para água?

6. A iluminação artificial é eficiente com pelo menos 95% das lâmpadas sendo fluorescentes com baixo teor de mercúrio e/ou LED?

7. Foram colocados sensores de presença para acionamento das lâmpadas de áreas comuns internas (corredores, por exemplo) e garagens?

8. Foram instalados sensores de luminosidade para ligar e desligar as lâmpadas das áreas externas (portão, estacionamento, jardins…)?

9. Os eletrodomésticos (ar condicionado, TV, geladeira, freezer…) possuem Selo Procel nível A?

10. Os fogões e aquecedores (à gás) possuem o Selo Conpet? ÁGUA

11. Foi instalado sistema para captação de água de chuva para ser utilizada na irrigação, descarga e limpeza externa?

12. Todas as torneiras têm o Selo SustentaX ou temporizadores ou aeradores para economia de água?

13. As válvulas de descarga ou caixas acopladas são de duplo fluxo?

14. Os chuveiros possuem aeradores para economia de água?

15. O paisagismo foi projetado de modo a utilizar espécies locais de baixo consumo de água?

16. Os pisos externos, incluindo calçadas, são permeáveis?

MATERIAIS

17. Pelo menos 20% do total (em custo) de materiais empregados tiveram conteúdo reciclado?

18. Pelo menos 50% do total (em custo) dos materiais e produtos utilizados na construção e decoração foram extraídos, processados ou manufaturados regionalmente (raio de 800 km)?

19. Materiais contendo amianto foram proibidos de serem utilizados na obra?

20. 100% das madeiras utilizadas nas etapas de construção foram de origem legal?

21. Pelo menos 50% das madeiras (incluindo mobiliário) possuem o selo FSC ou Cerflor?

QUALIDADE AMBIENTAL INTERNA

22. 100% das tintas utilizadas possuíam o Selo SustentaX ou comprovação de baixa toxidade (ser a base de água não significa ser de baixa toxidade)?

23. 100% dos adesivos, selantes e impermeabilizantes utilizados possuíam o Selo SustentaX ou comprovação de baixa toxidade? Atenção: ser a base de água não significa ser de baixa toxidade.

24. 100% dos tapetes, carpetes e tecidos dos estofados possuem o Selo SustentaX ou comprovação de baixa toxidade?

25. Existem barreiras de contenção de poeira (capachos, por exemplo) em todas as entradas para reter a poeira (cerca de 75% da poeira entra pela sola dos calçados!)

26. Os locais de armazenamento de alimentos são separados dos produtos de limpeza?

RESÍDUOS

27. Durante a obra, os resíduos gerados foram corretamente separados e enviados para reciclagem?

28. Foi previsto espaço para serem realizadas coleta, separação e armazenamento seletivo de resíduos e de lixo (os recicláveis são destinados para cooperativas)?

29. Foi previsto espaço e pratica-se a compostagem?

30. Foi previsto espaço para armazenamento e destinação do óleo de cozinha para reciclagem (fabricação de sabão, por exemplo)?

Confira o resultado:

 Se você respondeu negativamente aos itens 1 e 2, infelizmente, sua casa não é sustentável do ponto de vista energético.

Até 10 respostas positivas: Sua casa ainda não é sustentável. Mas, existem alternativas que poderão contribuir para a eficiência energética e o uso racional da água no seu imóvel. Não é porque sua casa não foi construída seguindo critérios de sustentabilidade que você não pode torná-la mais sustentável. Fique atento quando for adquirir novos equipamentos ou pensar numa reforma. Faça já o que você percebeu que pode apresentar reduções de custo e bem estar para você e sua família.

De 11 a 20 respostas positivas: com certeza, você está preocupado com a qualidade de vida e com a manutenção dos recursos naturais do planeta, mas ainda não incorporou completamente a sustentabilidade em seu imóvel. Sustentabilidade é ainda muito confundida com ecologia, fique atento para os critérios que utilizará na escolha dos produtos e materiais em uma próxima reforma e prefira sempre produtos que tenham garantia de qualidade, salubridade e sustentabilidade.

A partir de 20 respostas positivas: Parabéns! Seu imóvel é sustentável e o investimento feito certamente está retornando por menores custos com energia, água e conservação já que desde o início você se preocupou com eficiência e economia. Além disso, sua família agradece por morar em um ambiente mais saudável e de melhor qualidade de vida e que vai valorizar acima do mercado!

*Teste elaborado pelo Grupo SustentaX.

Marcadores: , , ,

Reformas mais sustentáveis

segunda-feira, 04 de outubro de 2010 - por admin

Para ter reformas mais sustentáveis, deve-se sempre estabelecer critérios para a escolha de materiais e produtos. Alguns já possuem garantias de qualidade e sustentabilidade, mas outros ainda não, exigindo mais atenção dos consumidores.

Produtos a partir de madeira já possuem os selos FSC e Cerflor que garantem o cumprimento de práticas ambientais e sociais rigorosas no manejo. Para produtos finais, como mobiliário, por exemplo, esses selos não são suficientes pois nada avaliam em termos de qualidade, salubridade e responsabilidade na comunicação com o consumidor final.

Adesivos, selantes, pisos, revestimentos, tintas, metais sanitários já possuem o Selo SustentaX de Garantia de Qualidade e Sustentabilidade.

 Mas, e os demais produtos como cimento, gesso, vidros entre outros como devem ser comprados?

 A equipe do Projeto Residência Sustentável preparou algumas dicas e orientações sobre também como podem ser susbstituídos, sem comprometer a obra.

Cimento – Inovar na diminuição do emprego do cimento é um importante desafio, sem comprometer a qualidade e a segurança. Afinal, a produção de cimento tem como consequência um alto consumo de energia e matérias primas. 

Gesso: Materiais em gesso são os mais utilizados em painéis interiores devido à fácil instalação, por serem retardantes de chama, e apresentarem baixo custo. No entanto, a instalação normalmente resulta em um alto volume de resíduos a serem descartados.  Por isso, questione o fornecedor se ele recolhe os resíduos ou então procure empresas que reciclam o material, em sua cidade. 

Lâmpadas: ao comprar lâmpadas, é importante verificar:

  1. Se possuem o Selo Procel de eficiência energética
  2. Se possuem baixo teor de mercúrio e possuem instruções sobre o que fazer em caso de acidente
  3. Que tenham logística reversa garantida pelo fabricante.

Não compre apenas pelo menor preço que aparece na prateleira. Procure no rótulo a vida útil, em horas, estimada pelo fabricante e calcule o custo por 1.000 horas de funcionamento. Uma outra alternativa, é avaliar o emprego de lâmpadas LED, mais eficientes energicamente, com maior vida útil. Da mesma forma, compare utilizando como referencial o valor do custo por 1.000 horas de funcionamento.

 

Modelo de lâmpada LED da Sends Iluminação 

Materiais cerâmicos: dos materiais de acabamento, são uns dos mais duráveis utilizados na arquitetura de interiores e na construção civil. Procure utilizar cerâmicas manufaturadas localmente ou regionalmente para redução dos impactos com custos de transportes e também para favorecer o desenvolvimento regional. 

Metais e ligas metálicas:  o aço é o metal mais comumente utilizado nos produtos de construção civil. É altamente reciclável e sua sucata possui valor comercial. O alumínio é o segundo metal mais comum e provavelmente o mais reciclável no setor da construção. O aço inoxidável e o latão também são metais que podem ser reciclados desde que haja a correta separação dos mesmos. Embora tenham esses aspectos positivos de reciclagem, sua fabricação é intensiva em energia. Mas em determinadas aplicações (ambientes marinhos ou corrosivos, por exemplo) sua aplicação é indispensável. Busque alternativas, sempre que possível, como a madeira.

Plásticos: Dar preferência por plásticos que contenham reciclado na composição (e que atendam às características de desempenho requeridas) e que seja reciclável. A inovação está em  utilizar novos plásticos feitos por meio de fontes renováveis, como cana-de-açúcar. Afinal, a maioria dos plásticos existentes é formulada a partir de fontes não renováveis de petróleo e gases naturais. Além disto, sua produção pode envolver o uso de substâncias tóxicas e potencialmente perigosas. Por isso, optar por alternativas sustentáveis colabora para o meio ambiente e para a saúde.

Vidros: Devem apresentar características técnicas que também contribuam para a eficiência energética do sistema de ar condicionado. Existem também no mercado soluções como películas para vidros (3M) que colaboram para melhor economia energética e contribuem para a aprazibilidade do espaço por permitir iluminação natural e vista para o exterior.

A linha Prestige de películas para vidros da 3M é uma opção que alia o  equilíbrio entre a iluminação natural e o bloqueio de excesso de energia solar no ambiente interno.  Desenvolvida a partir de nanotecnologia, a película é composta por 242 camadas e promove o bloqueio de 97% de raios infravermelhos e 99,9% dos raios ultravioletas.

No projeto Residência Sustentável, além das películas para vidros, serão usadas também, com tecnologia 3M, em parceria com a fornecedora de vidros Penha Vidros,  células fotovoltáicas para geração de energia solar.

Contatos:

3M

linha aberta 3M: 0800- 0132333

www.3m.com.br

iHome

55 – 41 – 4063-9151

http://www.ihome.ind.br

 

Sends Iluminação

Tel: 55 11 3392-2322

www.sendsiluminacao.com.br

 

Penha Vidros

Show-Room: rua Pamplona, 1483 – São Paulo/SP

Tel: 55 11 3225-3713

www.penhavidros.com.br

fotos: divulgação 

Marcadores: , , ,

Separando corretamente os resíduos na construção

terça-feira, 15 de junho de 2010 - por admin

Você já parou para pensar em quanto uma reforma (ou mesmo construção) produz de resíduos? Madeira, plástico, vidro, entulho, entre outros. 

Um dos objetivos do projeto Residência Sustentável é o de também reduzir os impactos no meio ambiente por meio de ações efetivas, como separar e dar a destinação correta dos resíduos gerados, evitando que materiais que possam ser reciclados ou mesmo contaminantes não acabem nos lixões.

Para que você também possa colocar em prática o gerenciamento de resíduos, indicamos algumas empresas que recolhem e encaminham materiais para reciclagem.

Empresas que recolhem resíduos e enviam a reciclagem em São Paulo/SP

Página 1 de 1
   
Publicidade
Publicidade

patrocínio

realização